Páginas

2012-06-30

Cidades Fantasma: a farsa do crescimento económico da china

É do conhecimento comum que as obras públicas são usadas com estimulo económico importante em qualquer país cuja economia se sustente no capitalismo predatório; contudo a China dá um novo significado a este conceito. O governo chinês procura estimular a sua economia construindo cidades fantasmas. Estima-se que neste momento existam cerca de 64 milhões de apartamentos desabitados nas múltiplas cidades fantasmas chinesas. Para termos uma ideia, se fosse oferecido um apartamento a cada português e a cada espanhol, ainda sobravam cerca de 8 milhões de apartamentos por ocupar. são números loucos com implicações na economia mundial e com impactes ecológicos inimagináveis.
O documentário com a assinatura de Adrian Brown, repórter da cadeia televisiva australiana SBS, tem a duração de 14m38s.
Depois de ver o documentário pode explorar, usando o mapa google embutido, a vista aérea Ordos, uma das mais conhecidas cidades fantasma chinesas, situada no interior da Mongólia, que custou 5 mil milhões de dólares.
Use os controles de zoom do mapa e testemunhe a quase total ausência de carros nas ruas de Ordos. No final do artigo encontra uma lista de hiperligações para mapas do google que testemunham o mesmo fenómeno em mais seis cidades fantasma.



Zhengzhou New District, Henan
South China Mall, Dongguan
Ordos, Inner Mongolia
Erenhot, Xilin Gol, Inner Mongolia
Dantu, Zhenjiang, Jiangsu
Yunan University Campus, Yunnan, Changgong


Créditos

Enviar um comentário