Páginas

2012-05-16

Emergentismo: o fim do reducionismo?

Em Abril de 2007 Cédric Lémery deu uma conferência em Lisboa sobre o Emergentismo.
Fica aqui o resumo e o Slide Show.

Do espantoso desenvolvimento das diversas pelagens, penas e escamas que revestem os animais à multiplicidade das formas dos flocos de neve, como será possível explicar a diversidade do mundo? De acordo com a perspectiva reducionista, o mundo descreve-se pelo acção de um punhado de leis universais. No entanto, este edifício da realidade esbate-se na dinâmica das partículas elementares. Este visão fascinante do nosso ambiente, que dominou a pesquisa científica nos três últimos séculos, coloca o homem das ciências - que a compreende - no centro do universo dado que ela própria se assume como uma perspectiva universalista.

Contudo, há já algumas décadas que, da comunidade científica, se elevam vozes que contestam esta mundividência. Segundo os defensores do pensamento emergentista, as leis da física emergem a cada nível de organização da matéria: como das pequenas pinceladas de cor numa pintura impressionista emerge a profundidade de um céu crepuscular. Muitos cientistas adoptam, doravante, este paradigma e alguns vêm nele o coração da ciência do século XXI. Será que esta abordagem da realidade anuncia o requiem da perspectiva reducionista?
Enviar um comentário